A vida de uma protetora de animais. Depoimento de Tecka Dias.


Terminando a semana, com uma história onde solidariedade, paciência e compaixão alcança níveis estrondosos de amor aos seres sencientes. O Blog Coração sem Fim irá contar a história de Tecka Dias, uma protetora que luta incessantemente para que os animais não tenham o sofrimento ou a morte prematura como geralmente é o que acontecesse em sua grande maioria.

    Muitos dizem que é uma luta inglória. É muito dura de fato e sei que não posso vencê-la sozinha, mas não me vejo fora dela. Talvez,, seja pelo fato de já ter nascido dentro dessa peleja que, apesar de tudo, ela continua sendo minha vida. Sou o que chamam de “protetora de animais”. Minha mãe já resgatava cães e gatos quando nasci. Hoje ela abriga 15 animais meus eu 16, além desses tem os que cuido na rua por falta de espaço. Alimento, vacino, castro e levo afeto, que é algo de que eles necessitam tanto quanto do resto. Defender uma causa implica sempre em lutar, envolver-se e pagar um preço. Tenho feito isso. Hoje em dia, a causa tomou outras dimensões, mas a base, a essência continua a mesma. Somos chamados “protetores”, “cachorreiros”, “gateiros” e outros neologismos, todavia temos um mesmo motivador, algo pelo qual uma vez tocados, não há como mudar.
    Quando você se importa com o sofrimento de um cão ou gato magrelinho, remelento e faminto, não haverá outro em condições semelhantes que não vá quebrar seu coração. É que descobre-se que eles, ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, sofrem os efeitos dos danos causados pelo abandono “por fora e por dentro”. Os cães e gatos sabem que foram abandonados e da mesma forma compreendem quando estão sendo salvos. Assim como posso ver suas feridas causadas por sarna, leishmaniose e outras doenças e lesões, consequências de violências diversas cometidas pelas pessoas, por conhecê-los há tanto tempo, percebo claramente que vagavam pelas ruas angustiados, tristes e tentando vencer o medo.
     Muitos resgatados são deprimidos ou arredios e perdem a confiança nas pessoas. A estratégia que uso para restituir essa confiança é meu respeito e afeto. Não tem sido fácil trabalhar a favor dessa causa e o maior desafio é que o número de animais que sofre pelas ruas é muito grande em contraposição a uma quantidade pequena de pessoas que se dispõem a doar um pouco do seu tempo, do seu dinheiro, do seu afeto.
    São eles seres desprotegidos que vivem conosco nesse planeta, no entanto, são vistos como se fossem intrusos. Eles já me apareceram de várias formas, mas sempre comprovando a mentalidade da sociedade que os utiliza como enfeites, reprodutores que geram lucros, vigias, bobos da corte e não os respeita enquanto vidas valorosas que têm seus direitos.        
   Conviver com a injustiça e com a crueldade contra animais tem sido minha vida. Não tenho férias, não posso me dar a diversos luxos e ajudas são raras. Ainda assim, vale a pena viver por eles. Como se não bastassem aqueles que desprezam, há os que maltratam, cometem violências inumeráveis e horríveis contra animais domésticos, frágeis e inofensivos. Enquanto isso, nós que os amamos dedicamos tudo que é possível a eles. É uma guerra do amor contra a indiferença. Não me custa gastar a maior parte da minha renda com os “focinhos”, mas assim como eu, somos poucos. Os anjos que só têm amor, lealdade e alegria para nos oferecer não são vistos como merecedores de um pedaço de pão ou um pouco de água.
   O problema é muito mais profundo que parece. Há que se ter uma mudança começando pelas escolas que precisam ensinar as crianças e jovens a cuidarem dos animais. Nunca medi esforços para ajudar um “peludo”, nem transferi minha responsabilidade para ninguém. Cada “protetor” que estende a mão tem suas convicções, suas crenças, suas esperanças. Da minha parte, tenho um amor incondicional e inesgotável. Mesmo consciente de que não são eles os únicos carentes de ajuda no mundo, é por eles que escolhi lutar.
   Acredito piamente que se cada um fizesse o que lhe cabe não teríamos essa quantidade alarmante de animais abandonados pelo mundo, propagando doenças e estampando a maldade humana por todos os cantos do planeta. Apesar de não ter certeza da vitória (o fim do abandono e maus tratos contra os animais), não pretendo deixar de defendê-los e de cuidar deles o melhor que puder sempre.
Quem quiser ajudar a causa animal é só contatar a Tecka Dias pelo facebook
 
Anúncios

Um comentário sobre “A vida de uma protetora de animais. Depoimento de Tecka Dias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s